demitir um funcionário

Demitir um funcionário é uma tarefa que exige planejamento, tanto financeiro quanto emocional. A notícia nunca é agradável de dar e, para muitos empreendedores, é a parte mais difícil de ser chefe.

O momento de demitir o funcionário sempre é carregado de uma certa dose de emoção e exige que o chefe tenha tato e, dependendo da situação, jogo de cintura. Mas além de se preparar para esse processo desconfortável, o empreendedor deve fazer todas as contas para entender quanto a demissão irá custar para a empresa. Para demitir um funcionário que trabalha de carteira assinada, a empresa deve pagar uma série de encargos trabalhistas.

Quanto custa demitir um funcionário

O primeiro passo é consultar o advogado e o contador para entender se há algum entrave legal que impeça a demissão naquele momento. Esses profissionais orientam sobre obrigações legais da empresa, como demitir por justa causa ou não e o pagamento de encargos trabalhistas.

O contador irá fazer o cálculo de tudo que você deverá pagar para o funcionário. Isso inclui 13º salário proporcional aos meses trabalhados, férias proporcionais e férias vencidas, horas extras, comissões, aviso prévio normal ou indenizado e indenização de 40% do saldo do FGTS.

No caso de demissão por justa causa, você terá que reunir evidências que justifiquem a falta grave do trabalhador. Geralmente, ele pode ser demitido por justa causa quando vai trabalhar embriagado, é condenado por algum crime, apresenta má conduta no local de trabalho (que não condiz com as regras da empresa),é negligente ao realizar as tarefas e outras faltas similares.

Como se preparar para demitir um funcionário

Antes de comunicar a demissão, prepare toda a documentação necessária e certifique-se de que não haverá nenhuma lacuna que justifique processos trabalhistas. Sempre faça a demissão pessoalmente, explique por quais motivos está tomando aquela decisão e o que a empresa vai fazer por ele.

Seja educado, cordial e vá direto ao ponto. O funcionário nunca pode ficar em dúvida se a reunião é uma “bronca” ou uma demissão. Fale de forma clara e explique como será feita a rescisão, o que ele irá receber e por quanto tempo irão durar seus direitos, como cobertura do plano de saúde, por exemplo. Em nível pessoal, você pode se oferecer para escrever referências ou indicá-lo para novos empregos.

Se a demissão for por motivos de baixa eficiência do funcionário, dê um feedback para que ele possa melhorar no futuro como profissional – sempre com muita delicadeza. Mas caso seja por outros motivos, como corte de gastos, explique isso para ele.

Também permita que ele dê sua opinião sobre o funcionamento da empresa, como pontos positivos e negativos. Ouvir feedbacks vai te ajudar a crescer como líder e a melhorar os processos do seu negócio.

Prefira demitir o funcionário em uma sala fechada, longe dos outros, e no final do expediente, para evitar mal-estar e alvoroço entre os colegas. Não peça desculpas em excesso, demonstre segurança sobre a sua decisão e seja paciente. Após ouvir a palavra “demissão”, ele poderá pedir para repetir algumas coisas e você deverá informá-lo novamente.

Por fim, esteja prevenido. O funcionário pode ter uma reação imprevisível, como chorar ou ficar agressivo. Esteja preparado para lidar com esse tipo de situação também.