roupa para trabalhar

Quando você se torna uma empreendedora, a roupa para trabalhar passa a ser uma decisão sua. Não há uma empresa ditando se deve usar só peças pretas e sapato fechado ou ainda uniforme. Isso significa mais liberdade, mas também mais responsabilidade.

Seu estilo profissional faz parte da imagem que irá passar aos seus clientes, fornecedores, investidores e funcionários. É importante reservar um tempinho todos os dias para olhar suas roupas com carinho e escolher algo que te faça sentir confortável e confiante.

A importância de criar um estilo profissional

Cristina Zanetti e Fernanda Resende, Oficina de Estilo. Foto: Arquivo Pessoal

Para Cristina Zanetti e Fernanda Resende, donas da empresa de consultoria de estilo pessoal Oficina de Estilo, a forma como empreendedoras se vestem faz parte de como se comunicam. Comunicação envolve expressão facial, postura, mexer os braços e também a vestimenta. “Linhas, caimentos, cores, tudo isso comunica”, diz Cristina.

“No guarda-roupa profissional, a ideia é conhecer os elementos visuais para fazer a comunicação certa. Se vestir bem não tem regra, como usar calça preta e camiseta branca. É se vestir para comunicar o que existe dentro daquela pessoa, qual mensagem ela quer transmitir com seu negócio”, completa.

Não há uma cartilha de regras para seguir na hora de escolher a roupa para trabalhar. Também não é necessário tomar um banho de loja e transformar todo o seu armário para montar a imagem de uma empreendedora de sucesso. Basta ter bom senso e ler com atenção o que Cristina diz sobre o assunto.

Como escolher a roupa para trabalhar

1 – Mantenha sua personalidade

Tornou-se uma empreendedora e tem seu próprio negócio? Já pode comemorar, você não precisa mais sair de casa usando roupas com as quais não se identifica, que não são sua cara.

Para montar seu estilo profissional, conserve os elementos que fazem parte da sua personalidade e que combinam com seu ramo de atuação. Todo empreendedor traz um pouco de seus próprios valores para o negócio. Assim como elaborar uma identidade visual para a empresa, criar uma imagem pessoal é preciso.

Quando presta o serviço de consultoria de estilo, o primeiro passo de Cristina e Fernanda é elaborar uma proposta de identidade visual para as mulheres que atendem, de acordo com aquilo que elas querem comunicar. “A ideia é que essa comunicação seja autêntica. Existe o conforto físico e o conforto emocional. Não adianta uma pessoa super criativa vestir um terno cinza e estar desconfortável”, afirma Cristina. “Quem é empreendedor sabe que a empresa tem um pouco dos seus traços pessoais. Você criou aquele negócio e ele carrega um pouco de seus valores sociais e personalidade – e é muito importante atrelar essas duas coisas”, ensina.

Se você trabalha com sustentabilidade, por exemplo, vestir roupas vendidas por marcas globais que exploram o meio ambiente pode ser incoerente. E clientes e investidores percebem isso. Portanto, literalmente vista a camisa do que você acredita. Afinal, é o seu negócio.

2- Invista em peças curingas

Você já sabe que ter personalidade faz diferença. Portanto, nada de renovar o guarda-roupa: olhe para tudo que tem lá dentro e decida o que cabe no seu estilo profissional.

Foto: Istock/Getty Images

Entretanto, investir em algumas peças curingas é importante. Cristina explica que há visuais adequados para cada situação. Se você tem uma sorveteria, pode se vestir de forma mais casual quando está atendendo seus clientes. Mas quando for encontrar com investidores, ou pedir um empréstimo no banco, vale a pena adequar o visual para essa situação (sem perder a personalidade, é claro).

Para ocasiões mais formais ou sérias, tenha camisas. Elas não precisam ser de marcas caras ou feitas de tecidos super sofisticados. A camisa de malha é suficiente.

Blusas de tecido plano (aqueles que não esticam, como cetim ou lã) também são boas opções, principalmente se você combiná-las com lenços ou colares que representem uma gola.

Usar uma terceira peça também deixa o look mais formal. Se estiver com dinheiro sobrando, invista em paletós, blazers ou terninhos. No entanto, jaquetas e cardigans são suficientes.

3 – Mescle seu estilo com peças profissionais

Nem tanto o céu, nem tanto o inferno. Usar roupas muito informais, como calça jeans e camiseta, pode não ser o ideal para transmitir uma imagem profissional. Mas também não é preciso exagerar e se vestir de roupa social da cabeça aos pés.

A calça de alfaiataria é um acerto quando a intenção é usar uma peça mais sofisticada. Para não deixar o visual muito sério, combine com camisetas ou blusinhas. Outra ideia é usar calça de malha, jeans ou com corte esportivo combinada com blusas de tecido plano.

Você pode vestir peças básicas e optar por um sapato scarpin de salto, ou usar sapatilha neutra com um vestido de mangas mais arrumadinho. Encontrando um equilíbrio, é possível ir a vários compromissos diferentes no mesmo dia, sem precisar trocar de roupa. E use tudo com muita segurança sempre!

Se você não abre mão de usar tênis, não se preocupe: é possível garantir o seu conforto. Escolha os de cores sóbrias, neutras, sem muitos detalhes (como amarrações e taxinhas) e com sola fina. Nesse caso, opte por peças de vestuário um pouco mais formais.

4 – Separe a roupa para trabalhar da roupa de sair

Foto: Istock/Getty Images

O que pode facilitar muito a sua vida na hora de se arrumar é separar as peças. Primeiro, calcule quanto tempo da semana você passa trabalhando. Se é 70% do tempo, o seu armário deve ser 70% composto por peças para esse fim.

Não adianta ter um monte de roupa de sair se isso só acontece algumas vezes por semana (ou até menos). Às vezes, aquela calça de alfaiataria na qual você investiu dinheiro pode ser melhor aproveitada em reuniões de negócio do que em um passeio.

Separar roupas para trabalhar das roupas de sair também vai te ajudar a visualizar as peças que tem disponível na hora de se arrumar. Deixar o armário organizado, com tudo à vista, te ajuda a criar melhores combinações e a usar tudo que você tem, sem precisar comprar novas peças.

5 – Cabelo e maquiagem

Escovar o cabelo todo dia e fazer uma maquiagem elaborada não é necessário. Mas sair de casa com a cara amassada e o cabelo despenteado, dando a impressão de que andou de moto sem capacete, também não irá te ajudar a criar uma imagem profissional. Se você gosta de usar coque ou rabo de cavalo, por exemplo, já prenda as madeixas antes de sair de casa.

Tire um tempinho para cuidar da pele, certificando-se de que seu rosto estará com uma aparência limpa e saudável. Também é preciso tomar cuidado com exageros, como olhos esfumaçadas e makes muito carregadas.

“Quando estiver se arrumando, viva aquele momento, não faça duas coisas ao mesmo tempo, como se maquiar dirigindo ou prender o cabelo no metrô”, diz Cristina. “Prender no metrô leva o mesmo tempo que prender a casa. A diferença é que, em casa, você tomou cuidado, olhou para si mesma”, completa.

Usar acessórios também pode contar a favor, já que dão a ideia de que você tomou cuidado com o visual. Afinal, eles não têm uma função. Ninguém esquece de usar uma blusa, por exemplo. Mas para colocar anéis, brincos e colares é preciso tirar um tempinho e escolher. “Significa que você parou para pensar, não saiu esbaforida”, brinca Cristina.

Também é preciso tomar cuidado com excessos. Acessórios que fazem muito barulho ou atrapalham para digitar ou para se locomover não são indicados. Às vezes, colocar apenas um brinquinho já faz toda a diferença.

Mas atenção: acessórios e maquiagem contam a favor quando você gosta de utilizá-los. Nunca use o que não faz sentido para você e sua personalidade.

O mundo profissional também é das mulheres

O mundo profissional foi formatado pelos homens. A roupa para trabalhar masculina, clássica e formal consiste em terno, calça e camisa social. Quando o sexo feminino está inserido no mundo corporativo, espera-se que utilize uma releitura disso: terninhos, calças de alfaiataria e assim por diante.

Cristina diz que é preciso pensar fora da caixinha, na imagem que você quer transmitir. Não é preciso copiar um guarda-roupa masculino para se sentir confiante, assertiva e firme. Elementos que transmitem essas características ditas masculinas, como cores escuras e neutras, linhas retas e tecidos opacos são na verdade sem gênero. E a mulher pode se apropriar deles se desejar e da forma que preferir.

Toda a confiança necessária está dentro de você. Coloque isso no seu estilo pessoal e mostre que confia no seu brilho próprio.