gestão financeira

O empreendedor está sujeito a lidar com imprevistos que podem desequilibrar sua balança e tornar o saldo da sua empresa negativo. Uma forma de evitá-los, ou ao menos de minimizar seus efeitos, é fazendo uma boa gestão financeira.

O dono de empresa pode se deparar com diferentes imprevistos de acordo com o nicho no qual trabalha, como a demissão de um funcionário, uma campanha que não teve o desempenho esperado ou produtos que ficaram encalhados no estoque. Para evitar um grande prejuízo, o empreendedor deve estar a par de sua situação financeira.

Parece uma dica óbvia, mas segunda a contadora Heloisa Motoki, 14% dos empreendedores no Brasil não fazem a gestão financeira. Além disso, 8% acreditam que seu negócio não está sujeito a imprevistos – quando na verdade todos estão.

Heloisa, que é dona da Quali Contábil e consultora no Portal Contábeis, reforça que apelar para empréstimos não é a melhor forma de lidar com imprevistos. O acesso ao crédito para o empreendedor não é facilitado e as condições para pegar emprestado não costumam ser muito favoráveis.

Como fazer a gestão financeira da empresa

1 – Missão, visão e valores

O primeiro passo é entender qual é o propósito da sua empresa, chamado de “missão”. Por qual razão você escolheu empreender? Pretende abrir uma loja de orgânicos para sustentar sua família de quatro pessoas? Montar uma franquia de limpeza à domicílio para ter a chance de ganhar mais do que como assalariado?

A visão é a situação em que você deseja estar no futuro, como abrir um espaço físico, faturar certa quantidade por mês ou tornar a empresa sustentável. Já os valores são as atitudes e comportamentos que irá adotar para atingir tais resultados. Investir em um excelente atendimento ao cliente, por exemplo, pode ser um dos pilares do seu negócio e certamente o ajudará a crescer até o ponto onde quer chegar.

2 – Traçar estratégias claras e realistas

Defina seus objetivos (sonhos) e metas financeiras. Heloisa explica que a área de finanças e a área de vendas devem andar de mãos dadas. Isso significa que você deve traçar as metas de vendas levando sempre em consideração o ponto de equilíbrio: qual o mínimo que precisa vender para pagar todas as contas?

Além disso, crie diferentes cenários de preços para atingir as metas de vendas necessárias e seja flexível. Quando perceber que uma estratégia não está dando certo, passe para a próxima. Por fim, alinhe todas as suas estratégias com todos os envolvidos na empresa, como sócios ou sua equipe.

3 – Acompanhe caixa e lucro

Sobrar dinheiro em caixa não significa que a empresa está obtendo lucro. Muitos empreendedores fazem a contagem do dinheiro no final do dia e têm a impressão de que lucraram. No entanto, ao colocar todos as entradas e gastos na ponta do lápis, percebem que a situação é outra. Por isso, é importante olhar com atenção para o fluxo de caixa da empresa. Veja aqui como fazer isso.

Heloisa dá outras dicas importantes:

– Nunca imobilize todo ou grande parte do capital da empresa para um único fim;
– Escolha bem o cliente e administre inadimplências: verifique se está com o nome sujo e se costuma pagar tudo em dia;
– Administre os estoques com eficiência;
– Cuidado com os inimigos do lucro. O primeiro diz respeito aos descontos, que nunca devem ser concedidos sem critério. Planeje antes de oferecê-los para garantir que não haverá prejuízo. O segundo diz respeito às compras. Sempre avalie o custo-benefício para evitar pagar mais caro do que o necessário nas mercadorias. Por fim, olhe para os impostos que a empresa paga para evitar pagá-los de forma indevida.

4 – Acompanhe os resultados

Analise passado, presente e futuro da empresa, seu desempenho e índices financeiros. Se não souber como fazer isso, peça a alguém da sua confiança para ajudar a avaliar os números com cuidado.

Nunca passe um longo período sem acompanhar os resultados, pois eles têm muito a dizer sobre a saúde da empresa. Podem tanto indicar uma situação de possível falência ou o contrário. Será que chegou a hora de sair do Simples Nacional e apostar em um faturamento maior?