pessoas conversando sobre negócios em mesa de madeira

Você pode ter uma empresa incrível, que presta um serviço impecável, mas se não souber usar a comunicação a seu favor, a chance de o seu negócio decolar é pequena. O primeiro passo para uma boa comunicação é saber ouvir.

Quem presta atenção no que o outro está dizendo já tem meio caminho andado. Ouvir sobre as expectativas dos clientes, dos parceiros e dos fornecedores é uma característica que não pode faltar para quem é líder e pretende se destacar como empreendedor. Isso traz respeito mútuo e gera uma relação de confiança.

A mesma coisa vale para uma negociação. Ouvir e entender as necessidades de quem quer que seja pode fazer toda a diferença na hora de fechar um contrato. Segundo uma estatística levantada pelo site do Sebrae, o ouvinte comum lembra de apenas 50% do que foi comunicado. E isso pode prejudicar e muito os negócios. Uma comunicação clara e objetiva é a chave para o sucesso. Quando as informações são transmitidas de maneira confusa, com dados faltantes ou deturpados, um negócio que poderia ser promissor acaba indo pelo ralo.

Existem maneiras de tentar, ao máximo, ter uma comunicação plena com quem se conversa. Isso significa conseguir fazer com que a outra pessoa entenda exatamente as ideias que você está querendo passar. Primeiramente, você precisa de um lugar tranquilo, onde não haja muito barulho e outros tipos de interferências. Procure também evitar o uso do celular ou das redes sociais enquanto conversa. Outro tipo de barreira bastante comum envolve o lado pessoal e emocional de cada um. Não é fácil lidar com preconceitos e problemas individuais. Sabendo desse entrave, exponha suas diferenças de forma gentil, colocando-se sempre no lugar do outro. Isso vai gerar empatia e a pessoa com quem você conversa estará mais disposta a ouvir o que você tem a dizer.

Dicas para uma boa comunicação

Outro grande problema durante a comunicação ocorre quando as palavras são mal interpretadas. Antes de tirar qualquer tipo de conclusão e se colocar de maneira precipitada, faça perguntas de modo que as informações se esclareçam. Certifique-se também de que tudo está sendo passado: não esconda nenhuma informação importante sobre o assunto que está sendo comunicado. E, por último, preocupe-se em falar apenas o necessário. Um volume excessivo de informações pode não ser assimilado totalmente.

Portanto, saiba dar pausas no diálogo e se certifique de que está entendendo a mensagem que está querendo passar e vice-versa. Ao final, peça mais esclarecimentos sobre pontos que não ficaram tão claros e ouça atentamente sem interromper a linha de raciocínio do outro. Além de ser falta de educação, interromper impede que as informações fluam.

É importante também ficar atento à comunicação não-verbal, ou seja, a tudo aquilo que é dito por meio de gestos, feições e movimentos feitos com o corpo. Também devemos prestar atenção a esse tipo de linguagem que, muitas vezes, diz mais do que as palavras. Ou ainda, quando algo está sendo dito, mas o corpo reage de uma forma completamente diferente. Essas sutilezas, que podem ser notadas por meio da observação atenta, podem fazer toda a diferença também na comunicação.