empréstimo para MEI

O microcrédito é uma das principais modalidades de empréstimo para MEI, pois traz uma série de condições favoráveis a donos de pequenas empresas. A exigência por garantias é menor, assim como os juros.

No Brasil, uma lei determina que os bancos privados e públicos ofereçam 2% dos seus saldos em microcrédito para microempreendedores ou pessoas físicas de baixa renda. Esse tipo de empréstimo pode ajudar o dono de uma pequena empresa a equilibrar o caixa ou investir para fazer o negócio crescer. No entanto, é preciso tomar alguns cuidados antes de assumi-lo.

Como funciona o microcrédito

Geralmente, o valor disponibilizado pelo banco no microcrédito é inferior a outros empréstimos e não costumam ultrapassar os R$20 mil. Por outro lado, as exigências também são menores e ficam a cargo da instituição bancária. Ela não costuma exigir que o microempreendedor comprove a posse de imóveis, por exemplo.

O banco também determina o prazo para pagamento do crédito obtido e pode designar um agente para acompanhar o microempreendedor de perto, avaliando como o dinheiro está sendo empregado. Já os juros ficam em torno de 0,4% ao mês. Em empréstimos normais, os valores podem variar entre 2% e 6% ao mês.

O microcrédito atende microempresas com pequeno faturamento, como cabeleireiros, vendedores de cosméticos, faxineiros, mercados, artesanatos e padarias.

Como conseguir o microcrédito:

– Certificado de Microempreendedor Individual;
– Documentos pessoais (RG e CPF);
– Comprovante de endereço residencial;
– Preenchimento da Ficha de Cadastro Microempreendedor Individual, cujo modelo é disponibilizado na Caixa Econômica Federal.

Além disso, terá de provar ao banco que vale a pena investir no seu negócio. A instituição vai apostar em empresas rentáveis e que tenham potencial. Tenha um plano de negócios bem construído, todas as informações na ponta da língua e saiba argumentar a favor do seu trabalho.

Cuidados ao pegar empréstimo para MEI

Em várias situações o empréstimo para MEI é necessário para o crescimento da empresa. O empreendedor deve saber o destino exato do dinheiro e fazer um projeto realista para definir como irá aplicá-lo, além de estipular o valor do retorno financeiro e em quanto tempo deverá vir.

O objetivo do empréstimo para MEI é ampliar o negócio, portanto não utilize o dinheiro para fins pessoais. Lembre-se de que será preciso ressarcir a instituição bancária com juros, então você deve ter um plano bem traçado para isso. Dever para o banco é perigoso, pois os juros vão se multiplicando e a instituição pode criar novas condições menos favoráveis.

Programa Crescer

O  Governo Federal destaca outra modalidade de empréstimo para MEI: o Programa Crescer. Ele utiliza a mesma metodologia do microcrédito e os dois são bastante semelhantes, oferecendo taxas de juro similares.

Esse tipo de empréstimo é destinado a capital de giro ou investimento. Todas as condições são negociadas entre o microempreendedor e a instituição bancária que concede o crédito. Assim como no caso do microcrédito, destina-se a negócios pequenos que faturam até R$120 mil ao ano. Saiba mais.