Cultura empreendedora
Nos últimos anos, o número de novos negócios no Brasil vem crescendo constantemente e já ultrapassa os Estados Unidos, segundo a pesquisa
Global Entrepreneurship Monitor
. O país está evoluindo no quesito empreendedorismo, mas as condições ainda estão longe de serem ideais. Em grande parte, isso se deve à falta de uma cultura empreendedora.
De acordo com o estudo, quase metade dos empreendedores brasileiros escolhem abrir um negócio por necessidade, e não porque enxergaram uma boa oportunidade no mercado. Nos Estados Unidos, por outro lado, as pessoas abrem empresa quando percebem uma chance de criar um negócio de impacto, que gere lucros e empregos.
Além disso, as empresas brasileiras não dão grandes passos inovadores. O principal objetivo é gerar renda para o empreendedor, funcionando como meio de subsistência. Nos Estados Unidos, a ideia é desenvolver novidades que causam impacto na sociedade. O país tem tradição quando o assunto é empreendedorismo e é lar das maiores empresas do mundo, como Apple, Microsoft, Netflix, Facebook e Tesla. O que falta para o Brasil chegar lá?

O que é cultura empreendedora

A cultura empreendedora é o ambiente criado para estimular o desenvolvimento de novos negócios. Para que o país a desenvolva nesse ponto, o ideal é começar pela educação das crianças, ensinando questões básicas como finanças, trabalho em equipe, autonomia, criatividade, resolução de problemas e gestão de projetos.
De acordo com a pesquisa Cultura Empreendedora no Brasil, feita pela Endeavor, há quatro atitudes essenciais que estimulam a criação de novos negócios:
Visão de oportunidade: o empreendedor é capaz de enxergar boas oportunidades de negócio e tem mente aberta;
A cultura empreendedora também é construída com o suporte do governo. Menos burocracia para abrir uma empresa e contratar funcionários e a criação de redes de crédito especiais, por exemplo, estimulam novos empreendedores.

Como criar uma cultura empreendedora

Nos Estados Unidos, o tempo médio para abrir uma empresa é de oito dias. No Brasil, costuma gerar em torno de um mês. Todo o processo é muito burocrático e desanima. Com a criação do Simples Nacional, o país está evoluindo nesse ponto, já que ele estimula o desenvolvimento de pequenos negócios. Por outro lado, crescer é uma dificuldade, principalmente pela falta de acesso à crédito. Boa parte dos micro empreendimentos criados por aqui fecham nos primeiros dois anos.
A grande dificuldade para conseguir financiamento para a empresa é um dos principais entraves no Brasil — principalmente no caso dos pequenos. É preciso fomentar novos fundos de apoio, como a W55.
Além das questões práticas, o Brasil falha em fomentar a cultura empreendedora desde a infância e em criar uma rede de apoio ao empreendedor. O principal exemplo disso é a forma como fracasso é encarado por aqui. Cometer erros, perder dinheiro e fracassar é uma parte importante de empreender, pois dá visibilidade para acertar no futuro e crescer. Mas como o fracasso é encarado como algo extremamente negativo, os donos de empresa acabam desanimando e enfrentando problemas emocionais.