vestidos de noiva

Casar no Brasil é caro. Vestidos de noiva, aluguel do espaço, decoração, cerimonialista e todos os outros detalhes custam pequenas fortunas que assombram os sonhos dos pombinhos. Três empreendedoras em Porto Alegre (RS) decidiram investir na indústria do casamento de forma inovadora: oferecendo opções mais baratas de vestidos de noiva.

Em 2012, Laís Ribeiro decidiu se casar antes de sair do país para fazer um mestrado. O casamento seria junto com a despedida e ela queria algo simples. Quando saiu em busca de vestidos de noiva, quase caiu para trás ao se deparar com preços abusivos.

De volta ao Brasil em 2014, encontrou a amiga Natália Pegoraro, que passava pelo mesmo problema. “Pensamos que montar um e-commerce para vender opções mais baratas de vestidos de noiva pudesse dar certo. Então chamamos a Jana (Janaína Pasin), uma amiga minha de infância que a Nati também já conhecia, para cuidar da parte financeira”, conta Laís.

Foto: Reprodução/Site

Durante o primeiro semestre de 2014, as sócias criaram o projeto do site e a primeira coleção. Em agosto, O Amor é Simples estava no ar. A loja virtual vende vestidos de noivas e acessórios para penteados, chokers, gravatas, flores para lapela e caixinhas de alianças. A proposta é oferecer produtos de casamento por preços mais acessíveis.

Vestidos de noiva no Brasil levam qualquer casal à falência

Para Laís, o mercado de casamentos é careiro fora do Brasil também, mas aqui, os preços são ainda mais altos. “É comum que fornecedores queiram se aproveitar desse momento dos noivos, quando querem fazer uma festa legal e estão dispostos a gastar mais”, comenta. “Mas no Brasil beira o absurdo. Se você ligar no salão e pedir uma maquiagem, será um preço. Se pedir uma maquiagem para noiva, o valor cobrado será cinco vezes maior”, afirma.

Laís conta que muitas mulheres chegam a ser maltratadas por vendedoras quando entram nas lojas com “pouco” dinheiro. “Temos relatos de noivas que nos escrevem dizendo que foram muito maltratas nesse mercado. Entraram nas lojas e quando disseram o quanto tinham para gastar riram na cara delas”, revela.

As empreendedoras participaram do editorial de uma revista de Porto Alegre que desejava apresentar vestidos de noiva por faixas de preço. A publicação não encontrou peças por menos de R$1.000 na indústria tradicional.

Não foi difícil que O Amor é Simples conquistasse clientes, já que oferece vestidos de noiva e acessórios por preços justos. Para Laís, esse é um dos principais segredos de sucesso: criar um diferencial e um propósito.

Se você vai vender docinhos de casamento, qual será seu diferencial? O preço? A cor? O sabor? Cresça em cima do seu propósito.

O modelo de negócio d’O Amor é Simples

A empresa não trabalha com estoque. Os modelos são produzidos, fotografados e expostos no site. O cliente acessa o e-commerce, escolhe o produto que deseja e, no caso de vestidos de noiva, a medida. O pedido é repassado para costureiras contratadas pela marca e entregue na casa do consumidor.

A marca trabalha apenas com um estoque de tecido e vende produtos para todo o Brasil. A produção acontece em Porto Alegre e, segundo Laís, é justa: as costureiras são bem remuneradas e têm tempo suficiente para produzir as peças com tranquilidade.

Vestido do Amor é Simples Foto: Reprodução/Facebook

Para reforçar a importância do trabalho justo, as empreendedoras colocam bilhetinhos nas caixas de entrega escritos pelas próprias costureiras. A ação faz alusão aos bilhetes escondidos por trabalhadores escravos chineses em roupas vendidas por grandes lojas de departamento. “Isso tem a ver com nosso posicionamento e o público que queremos atingir. O processo tem que ser justo para a cadeia inteira”, diz Laís.

“O estilista é super glamourizado, mas a costureira fica esquecida. Muitas precisam lidar com encomendas gigantes para produzir em pouquíssimo tempo”, argumenta a empreendedora. “Prefiro ter várias costureiras, cada uma trabalhando no seu tempo e negociando o pagamento que acham justo”, completa.

Até ano passado, Laís, Natália e Janaína faziam home office. Hoje, trabalham em um coworking que abriga três outras empresas também dirigidas por mulheres. As sócias sentiram necessidade de sair de casa e “ir para o trabalho” todos os dias. No espaço, dividem salas de reuniões com outras pessoas e têm uma salinha própria, onde discutem os planos para a empresa.

Para Laís, O Amor é Simples está nadando em um oceano azul atualmente, já que é a única empresa trabalhando com vestidos de noiva a bons preços. “Foi muito simples criar uma marca que quisesse fazer diferente. Quanto mais a gente produz e cresce, mais percebemos que somos a única marca fazendo esse trabalho”, finaliza.

O que você pensa sobre a indústria de casamentos? Dê sua opinião.