Lilian Vernon

Em tempos de crise, dá sempre para tirar um dinheirinho extra vendendo alguns produtos por catálogo. Tem de tudo, de lingeries e cosméticos a itens para cozinha. Com apenas um caderninho e uma caneta em mãos, você consegue vender para vizinhas, familiares e colegas de sala com um investimento bem pequeno. Mas sabia que a venda por catálogo surgiu de uma grande sacada empresarial? Ela foi criada nos Estados Unidos por uma alemã chamada Lilian Vernon em 1951, como uma forma de conseguir dinheiro para sustentar sua família.

A ideia de abrir um negócio surgiu quando Lilian estava grávida do primeiro filho. Como o salário do marido seria insuficiente para arcar com todos os gastos da família que estava crescendo, ela resolveu ajudar. Ao procurar opções, viu que estava de mãos atadas. “Era muito fora de moda a mulher trabalhar naquela época, então eu pensei que fazer compra com pedidos postais era uma coisa maravilhosa. Poderia fazer isso de casa, trocaria fraldas, a coisa toda”, escreveu em sua autobiografia.

Lilian Vernon e a criação da venda por catálogos

A alemão começou, então, a trabalhar sozinha da cozinha da sua casa, em Mount Vernon, em Nova York. Ela investiu os 495 dólares que tinha ganhado como presente de casamento em um anúncio pequeno na revista americana Seventeen. Os produtos oferecidos eram uma bolsa e um cinto de couro, ambos personalizados com monograma. “Eu tinha certeza que as adolescentes se interessariam por itens que as fizessem se sentir únicas”, escreveu.

Três meses depois desse primeiro anúncio, Lilian já havia recebido 32 mil dólares em pedidos. Animada com o sucesso da empreitada, abriu formalmente a empresa que leva o seu nome e reinvestiu o dinheiro ganho na empresa. Além de expandir a variedade de produtos, incluindo pentes, botões de casaco e abotoaduras, ela ainda comprou anúncios maiores em meia dúzia de revistas de moda. Tudo era vendido com a personalização como um brinde.

Em uma entrevista à revista americana Fortune, ela comentou que usar esse dinheiro na empresa foi fundamental para o sucesso. “Seja pão-duro no começo. Reinvista todo o dinheiro que ganhar. Uma peça do autor Thornton Wilder que fala que o dinheiro é como adubo, ele deve ser usado para fazer as coisas crescerem”, ensina/

Lilian Vernon faz sucesso com os catálogos

No começo, a própria Lilian se encarregava de todo os processos da empresa. Abria correspondência, preparando os produtos e enviando para o consumidor. Mas o sucesso foi tamanho que, já em 1954, ela alugou três salões — um depósito, um para alocar os itens que precisavam ser enviados e o terceiro para fazer os monogramas. Até então, as vendas de Lilian eram feitas apenas por meio de anúncios publicados em revistas.

Mas em 1956, ela resolveu que era hora de produzir sua primeira revistinha. Com 16 páginas impressas em preto e branco e dezenas de produtos à venda, a edição inicial foi enviada a 125 mil consumidoras. O retorno foi imediato e gigantesco – sua receita anual saltou para 150 mil dólares. A empresa continuou crescendo com o passar das décadas e, em 1989, ela lançou seu primeiro catálogo com produtos para banho, quarto e cozinha. O sucesso, mais uma vez, foi imediato. Menos de uma década mais tarde, ela já faturava 55 milhões de dólares por ano.

Apesar de ter enfrentado uma forte concorrência durante os anos, Lilian garante que seu sucesso é mantido pela seleção dos produtos: ela só colocava à venda itens que acha interessante e que compraria para si mesma. “Eu conheço meu consumidor, porque eu sou a minha consumidora”, disse em entrevista.

Em 1987, A Lilian Vernon Corporation foi a primeira empresa criada por uma mulher a participar da Bolsa de Valores americana. Em 2003, após enfrentar problemas financeiros surgidos com a chegada da internet, Lilian Vernon Corporation foi vendida para a Zelnick Media e, atualmente, pertence à empresa Taylor Corporation. A empresária morreu em dezembro de 2015, aos 88 anos.