Segundo a Caixa Econômica Federal, o FGTS, sigla de Fundo de Garantia do Tempo de Serviço é um benefício que tem como objetivo proteger o trabalhador demitido sem justa causa, mediante a abertura de uma conta que fica vinculada ao contrato de trabalho.

Funcionários contratados sob o regime CLT têm 8% do salário depositado todos os meses nessa conta. Normalmente, funcionários só podem utilizar o dinheiro do FGTS quando demitidos sem justa causa, aposentadoria ou para liquidar dívidas para financiamento de imóveis. Para obter o dinheiro do FGTS em caso de demissão, é preciso ir em uma das Agências da Caixa com o número de inscrição do PIS/PASEP, presente na Carteira de Trabalho, um documento de identificação do trabalhador e também comprovante de finalização do contrato de trabalho (CTPS ou termo de rescisão do contrato de trabalho).

No começo de 2017, porém, o governo de Michel Temer liberou o saque de contas inativas do FGTS, mas somente para contas que não tiveram movimentação até dezembro de 2015. O objetivo da medida era aquecer a economia. O saque podia ser feito até o dia 31 de julho de 2017.

Como usar a expressão FGTS

Exemplo 1
“Prefiro aproveitar o dinheiro do FGTS para fazer algum investimento, dar entrada no meu apartamento, por exemplo.”

Exemplo 2
“Como fui demitido do meu último emprego tenho direito de sacar o FGTS. Vou aproveitar para finalmente abrir o meu negócio próprio.